Seu entrevistador pergunta sobre seu nível de conhecimentos em BPM, BI, habilidades de venda…? Suas habilidades interpessoais ou se você gosta de desafios…? E você responde… ERRADO!

Sim, infelizmente você responde ERRADO! Ao contrário do que recomenda o bordão “conhece-te a ti mesmo” (do Templo de Apolo), o ser humano dificilmente se conhece… pelo menos NÃO em níveis efetivamente úteis aos entrevistadores. Segundo o que prova o Dunning-Kruger Effect, 2012 (da Cornell University), somos incapazes de reconhecermos nossas incompetências! Óbvio, não?

Sobrevivemos a traumas, rejeições e fracassos e estamos de pé. Modelamos, assim, vieses cognitivos que nos mantêm psicologicamente saudáveis (ou quase) mas que não nos fazem bons analistas do nosso desempenho. Por isso, é muito provável que sua próxima entrevista de emprego seja modelada por ANALISTAS DE CENÁRIOS e sua seleção contemplará a forma como você buscou sua vaga (e conseguiu enviar seu currículo), seus perfiis no Facebook ou Instagram, seu comportamento em chamadas telefônicas inusitadas, simulações nas filas e salas de espera, em conversas com falsos colegas de seleção e sua reação a entrevistas bastante atípicas. Preparado?

Lembrem: CANDIDATOS precisam pensar FORA DA CAIXA!

Comments are closed.