Por: Andre Penha – Co-founder e CTO do Quinto Andar

Alugar é mais compatível com as grandes cidades e com o dinamismo de hoje. Se você troca de emprego, quer morar perto. Se vai ter filhos, quer um lugar maior. Se ganha mais dinheiro, vai querer algo mais sofisticado.

 

Eu comparo a necessidade de ter um imóvel com a de ter um carro, item que “deixou de ser uma coisa importante”.

No fim de 2012, quando voltei pro Brasil, eu já até tinha visto o Uber e o Lyft começando em São Francisco. Mas eu jamais imaginaria que eu ia deixar de querer ter um carro por causa da revolução que essas empresas começaram. Eu nem dei bola pra essas empresas naquela época. Quem diria…

Eu nasci em 1980 e, nos anos 90, contei os dias até fazer 18 anos e tirar carteira de motorista. Poder dirigir, juntar todo o dinheiro da vida e ainda pedir uma ajuda aos pais pra comprar aquele Fiat velho era um sonho. Carro é que era a liberdade. Vejo os adolescentes de hoje: ninguém tem a menor vontade de ter um carro, especialmente na cidade grande. Eu até tenho um carro, que fica na garagem enquanto ando de Uber e 99, mas penso todo dia em vendê-lo e -quando precisar- alugar um carro pra viajar.

Interessante é que até cinco anos atrás eu não usava táxi no dia-a-dia porque o serviço era horrível. Chamar na rua, ou senão telefonar pra uma central que passava um rádio e me fazia esperar uns 15 minutos. Tinha dúzias de centrais em cada cidade, cada uma com aquele pouquinho de táxi. Ah, e eu não sabia quanto ia custar – tinha medo de ficar caro se o trânsito apertasse. Eu nunca achei que o carro sob demanda ficaria bom o suficiente a ponto de substituir o meu carro. Todos começamos a usar, o produto funciona, tem carro pra todo lado, o serviço é bom. De repente a gente não precisa mais ter automóvel porque usar carro dos outros é bom o suficiente e é mais fácil. Isso se somou ao estilo de vida das gerações atuais – mais dinamismo, mais mobilidade, menos posse.

Eis que é um movimento similar que nós, do QuintoAndar, estamos começando com imóveis. Ninguém no mundo faz o que nós fazemos: deixar o aluguel tão fácil a ponto de tornar a compra de um imóvel pra morar… obsoleta.

Nós fundamos o QuintoAndar inicialmente pra resolver o problema de que alugar era muito burocrático, não para fazer o aluguel substituir a compra. Mas é o que está acontecendo e esse fenômeno tem também a ver com o momento da sociedade, com as gerações.

A geração dos meus pais mora por 30 ou 40 anos na mesma casa. Então na juventude deles fazia sentido investir todas as economias da vida naquele imóvel.

Hoje a gente tá mais ligado na mobilidade e quer morar onde é melhor naquele momento. Alugar é mais compatível com as grandes cidades e com o dinamismo dos tempos de internet. Se você troca de emprego, quer morar perto. Se vai ter filhos, quer um lugar maior. Vai ganhar mais dinheiro, vai querer algo mais sofisticado.

Mesmo que a pessoa tenha dinheiro para pagar à vista, vale cada vez mais investir em uma aplicação com mais liquidez e pagar o aluguel. A liquidez serve para… você viajar, estudar, ou guardar pra se aposentar.

Tem o lado psicológico, aquela sensação de um lugar seu. Muita gente ainda prefere ter o imóvel porque aí dá pra fazer do jeitinho que a gente quer: quebrar uma parede, pintar uma outra, trocar o piso, investir em armários embutidos e instalar aquele chuveiro a gás. Reformar o quarto da criança, que está crescendo. Mas por que não alugar um apartamento que tenha esse seu jeito?

No QuintoAndar a gente acredita que isso vai ficar mais claro à medida em que aluguel fique ainda mais simples e que os imóveis que a gente aluga se pareçam mais com nosso estilo. Ou seja, que melhore a qualidade e a quantidade de imóveis disponíveis, além de melhorar o processo de alugar – o que a gente já está fazendo muito bem.

E antes que me perguntem quem é que vai investir em imóveis pra alugar, aqui vai minha resposta: fundos. Você quer ganhar dinheiro com aluguel, pegue qualquer quantidade de dinheiro e coloque em um fundo que vai comprar imóveis e te pagar proporcional ao rendimento total da carteira. Mas esse é outro assunto, pra um próximo texto.

Estamos trabalhando forte pra isso. Anote aí. Assim como hoje faz pouco sentido ter carro na cidade grande (e ninguém pensava assim antes de Uber e Lyft), daqui a pouco vai ficar óbvio para todo mundo que a gente não precisa comprar um bem de quase um milhão de reais pra se sentir em casa. E não se pensava nisso antes do QuintoAndar.

Obs: Notem que, de propósito, não mencionei o que é economicamente mais vantajoso. Uns falam que “alugar é jogar dinheiro fora”, mas esquecem que pagar juros na prestação também é. Então concentrei meu argumento no comportamento das pessoas e na disponibilidade. Hoje aluguel é mais vantajoso financeiramente, mas já teve época em que comprar era vantagem. Na média dos anos de uma vida inteira, acho que tende a empatar.

Comments are closed.